Víctor Amatucci: ‘O futuro próximo que se avizinha não deixa muita margem para sorrisos’

Não nos enganemos, o dia será trágico.

O futuro próximo que se avizinha não deixa muita margem para sorrisos. Desmonte do SUS, a Petrobrás começou a ser vendida ainda ontem. Os direitos trabalhistas abaixo da vontade do patrão.

Uma parte considerável dia que deveriam coordenar a luta preocupada apenas com seus umbigos.

E entre tudo isso, nós.

Mas se o presente é desagradável não nos resta outra hipótese, senão a luta. Não nos resta outra coisa senão o sorriso inocente da prática. Se nos falta esperança, nos sobrará o esperançar. Aquele verbo cunhado por Paulo Freire e que significa o simples ato de construir nossa esperança.

A construção se dará nas ruas, ao lado do povo guerreiro que não se conforma com um presente de tristezas.

A construção se dá em todos e todas nós.

Não há solução sem conflito. Não há direitos sem luta. Não há luta sem vontade.

Seguiremos nas ruas, no convencimento, no argumento. Na treta quando for de treta. No riso quando pudermos rir.

O dia se promete trágico? Vamos construir um amanhã de conquistas, então. Nossos tijolos serão as lágrimas de hoje. Nosso cimento o direito retirado.

Não há melhor lugar para se ocupar do que o espaço vazio deixado pelos traidores do povo.

A luta é na rua. A luta é todo dia.

Víctor Amatucci


Leia mais