Tucanos podem: Oi instalou, a toque de caixa, uma central telefônica na casa de praia de Doria

Bem relacionado com a elite empresarial, o prefeito eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), recorreu em 2012 a um atalho para agilizar a instalação da rede de telefonia da empresa Oi no condomínio de luxo na praia de Trancoso, na Bahia, no qual ele e personalidades como o jogador Ronaldo Fenômeno tinham casa.

Em julho de 2012, Doria enviou e-mail a James Meaney, à época diretor de Operações da Oi, para pedir o serviço. Meaney já havia sido entrevistado por Doria, à época empresário, em seu talk show na TV, o “Show Business”.

Um pedido à rede de telefonia da operadora Telemar/Oi já tinha sido feito pelo condomínio dois meses antes, às vésperas de sua inauguração, mas não havia previsão para a realização do trabalho.

No e-mail ao executivo, Doria expôs sua insatisfação: “Neste feriado [de 9 de julho] estamos com quase todas as casas ocupadas e sem condições de ficar sem telefone”, disse o hoje prefeito.




Doria deixou claro na mensagem que a falta de conexão causava transtornos a outras pessoas famosas.

“Nosso condomínio acaba de ser inaugurado em Trancoso e dele fazem parte o Ivan Zurita [então presidente da Nestlé], Nizan Guanaes [publicitário], Amilcare Dalevo [dono da Rede TV!], o Ronaldão [Fenômeno], Roberto Carlos [cantor], Dody Sirena [empresário do cantor] e eu, entre outros empresários e personalidades que estão completamente sem telefone no condomínio”, afrimou.

Na saudação final, o e-mail traz uma pitada de cobrança. “Agradeço muitíssimo sua atenção e espero rever você em breve. Inclusive para agradecer”, encerrou.

O pedido de Doria trafegou como um raio na Oi. Em menos de 20 minutos, o e-mail foi parar na caixa de mensagens de um funcionário da diretoria de Implantação para a Bahia, com uma ordem do diretor da empresa José Claudio Gonçalves: “Entender e resolver imediatamente”.

Daí em diante, demorou apenas 15 dias para que o condomínio passasse a ter os serviços de telefone fixo e internet, com a instalação de uma central telefônica.

Primeiro, com velocidade de 1Mbps. Mas, em dez dias, a companhia faria um investimento adicional nos equipamentos em Trancoso e Porto Seguro para que a velocidade no condomínio passasse para 10 Mbps.

Engenheiros de telecomunicações consultados pela Folha afirmam que em geral esse tipo de serviço demora de três a seis meses.

Leia mais na Folha de São Paulo.


Leia mais