Ter chamado Aécio de ‘filhinho de papai’ não foi crime, decide justiça

Lula foi inocentado pela Justiça do crime de calúnia por ter chamado Aécio Neves, em 2014, de “filhinho de papai” num comício eleitoral em Minas Gerais.




A coligação do tucano, que disputava a Presidência com Dilma Rousseff, pediu a instauração de um inquérito para investigar os crimes de calúnia, injúria e difamação. Os dois últimos prescreveram -como o petista tem mais de 70 anos, os prazos de prescrição caem pela metade.

Já o crime de calúnia foi considerado inexistente. As declarações de Lula, no entendimento da Justiça, seriam genéricas e superficiais, “emergindo da emoção e do calor de um comício”.

Mônica Bergamo – Folhapress