Temer adimite que o processo de impeachment de Dilma Rousseff é um golpe

Michel Temer acaba de dar uma entrevista coletiva onde assumiu que o processo contra a presidenta Dilma Rousseff é um golpe.

“O Senado tem que fazer uma avaliação política e não jurídica”, admitiu.

O fato chamou a atenção dos parlamentares Jandira Feghali e Lindbergh Farias, que comentaram o ocorrido. Eles comentaram acerca das declarações do interino ao afastamento da presidenta eleita. 

“No parlamentarismo é que você pode afastar uma presidente em cima de questões políticas e em cima da perda da base parlamentar, e no presidencialismo, no nosso presidencialismo, não, tem que haver crime de responsabilidade”, lembrou Lindbergh.

O Senador ainda lembrou que Michel temer – no fundo – sabe que o processo contra a presidenta eleita é um golpe.

Jandira relembrou que Temer “assinou o recibo” quando admitiu que o problema de Dilma é político. A deputada federal ainda afirmou que os defensores da democracia continuarão argumentando o golpe no Congresso e nas ruas.

“Vamos continuar nas ruas, no dia 31/07 em vários locais do país e no dia 05/08 no Rio de Janeiro no ato ‘Fora Temer por mais direitos ou nenhum direito a menos’ para que a gente consiga demarcar no mês de agosto com intensidade a nossa luta para impedir o impeachment”, disse Jandira.


Leia mais