Samarco consegue liberação para uso de depósito provisório de rejeitos

A mineradora Samarco obteve um primeiro sinal verde para poder retomar suas operações. O Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), órgão ligado ao Ministério das Minas e Energia, deu sua anuência para que a empresa utilize uma cava como depósito provisório de rejeitos de minério de ferro. Ainda faltam à empresa as licenças da Secretaria de Meio Ambiente de Minas Gerais para o uso dessa cava, chamada de Alegria Sul.

“A utilização da cava, caso aprovada também pelo órgão ambiental do Estado, é a solução mais segura encontrada pela empresa para viabilizar a continuidade de suas atividades, paralisadas desde o rompimento da barragem de Fundão, em novembro do ano passado”, disse a Samarco na tarde desta quinta-feira por meio de nota.




Segundo trecho decisão do DNPM destacado pela Samarco “a solução proposta é extremamente segura, uma vez que se trata de disposição em cava proporcionando confinamento do rejeito”.

A secretaria de Minas já indicou que é factível considerar que a licença final necessária para que a Samarco retome a produção saia em meados de 2017.

Com o rompimento da barragem de Fundão, a empresa paralisou sua produção em Mariana (MG) e logo depois parou a produção de pelotas de ferro — seu produto final — em sua unidade no Espírito Santo.

Para voltar a operar, a Samarco precisa de um local que sirva de alternativa à barragem. A opção foi usar essa cava — um grande buraco de onde foi extraído minério de ferro. A cava fica no complexo da mineradora em Mariana. A ideia é que essa estrutura seja usada por dois anos até que outra solução de deposição de rejeito seja elaborada pela empresa.

Via Valor Econômico