Rússia interferiu nas eleições norte-americanas

As autoridades do governo da Rússia autorizaram a interferência nas últimas eleições dos Estados Unidos, apontaram nesta quinta-feira (5) chefes da inteligência americana em um testemunho escrito ao Senado.

“Chegamos à conclusão de que apenas os mais altos líderes russos poderiam autorizar o recente roubo e divulgação de dados relacionados com as eleições”, disseram três chefes da inteligência em seu testemunho.

Sanções

O governo americano anunciou no dia 29 de dezembro sanções contra a Rússia. O presidente Barack Obama disse que as sanções visam punir a Rússia por ter atacado o sistema democrático dos Estados Unidos e por hostilizar diplomatas americanos.




As medidas incluíram a expulsão de 35 representantes do Kremlin nos Estados Unidos e o fechamento de dois locais, um em Maryland e o outro em Nova York, que a Rússia usa para operações de espionagem.

Diplomatas russos que foram expulsos por ordem do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deixaram Washington no domingo (1), de acordo com notícias de agências de notícias russas, que citaram como fonte a embaixada da Rússia.

China

O diretor da Inteligência Nacional, James Clapper, afirmou, em uma audiência no Senado, nesta quinta-feira (5), que a China continua a realizar ações de ciberespionagem contra interesses americanos, embora o ritmo dessas operações tenha diminuído.

A China “continua a realizar” atividades de ciberespionagem “contra o governo dos Estados Unidos, seus aliados e empresas americanas”, mas há “uma certa redução” de tais atividades, disse Clapper.

Via France Presse