Richam Faissal, quantas vezes o sr. já “interrompeu o procedimento” para tentar salvar a vida de pacientes?

Pudesse entrevistar o neurocirurgião Richam Faissal El Hossain Ellakkis, que sugeriu em mensagem de WhatsApp matar a ex-primeira-dama, Marisa Letícia, perguntaria sem titubear:

Quantas vezes o senhor já “interrompeu o procedimento” para tentar salvar a vida de pacientes?

Essa é a pergunta que não quer calar a todos que leram a mensagem do médico num grupo em que havia outros médicos, o que torna o fato ainda mais chocante, mais anti-humano.

“Esses fdp vão embolizar ainda por cima. Tem que romper no procedimento. Daí já abre pupila. E o capeta abraça ela”, escreveu.




De tudo que já foi dito sobre a perversidade da conduta de um profissional que jurou salvar vidas, prevalece esta dúvida. Nunca saberemos quantos tiveram o azar de cair nas mãos do médico desumano.

Quem perdeu alguém que esteve sob seus cuidados certamente deve estar se perguntando se foi a hora certa ou a hora que o ‘doutor’ decidiu.

Estamos acostumados a casos de erros médicos, muitos impunes, mas foi um choque saber que circula num aplicativo de conversas tão pavorosa orientação para abreviar a vida.

Inevitável não pensar: e se fosse com alguém que amamos?

Se além de acelerar a morte soubéssemos que o médico identificava a pessoa querida como filho da puta?

Nunca saberemos quantas vezes o neurocirurgião orientou a eutanásia, se praticou ou induziu alguém a praticar.

Será a morte o alívio (dele) contra quem tem posição política distinta?

De Hipócrates à hipocrisia.

Está nos escritos que “Quando o primeiro ser humano se queixou de dor, a mão de alguém se estendeu para trazer alívio. Ali ocorria o primeiro ato médico. Ali nascia a medicina”.

Richam Faissal desejou que o capeta abraçasse dona Marisa na hora da morte.

Se o diabo, pra quem acredita, é a personificação do mal, não deve ser tão feio quanto parece o médico.

Luciana Oliveira, bacharel em Direito, jornalista e ciberativista de causas sociais. Blogueira progressista e membro da Comissão Nacional de Blogueiros.