Policial militar paulista será investigado por tirar selfie com arma apontada a um jovem negro

Ponte – Após identificar e afastar das ruas o PM que usava máscara do palhaço Coringa para espalhar terror pelo WhatsApp, agora a Corregedoria (órgão fiscalizador) da Polícia Militar de São Paulo investiga quem o é militar que fez uma selfie ao apontar sua arma para um jovem negro.

Na fotografia, o PM empunha uma pistola .40 com a mão esquerda, assim como fazia o PM Coringa, e o jovem negro está com a cabeça para baixo. Pela posição de seu braço esquerdo, provavelmente no momento do clique da foto, ele também estava com as mãos para trás.

CoPSnLuWcAAQa_1

Assim como no caso do PM Coringa, o militar que fez a selfie subjugando o jovem negro também atua na zona sul de São Paulo, no patrulhamento de bairros da periferia.

Para evitar represálias contra o jovem negro, a reportagem utilizou recursos digitais para manchar o rosto dele e o distintivo estampado na sua camiseta, branca com detalhes azuis.

Ao contrário das três imagens do PM Coringa, todas distribuídas em grupos do WhatsApp restritos a policiais, o selfie do PM com a arma apontada para o rosto do jovem negro também foi enviado para jovens moradores do bairro onde o rapaz foi abordado e subjugado pelo militar.