Policial Militar mata segurança após tentar sair do shopping sem pagar estacionamento

Roberto Prado Ribeiro, de 36 anos, morreu neste sábado (16) depois de ser baleado no rosto por um policial militar na quarta-feira (13). A vítima trabalhava num shopping da Zona Norte do Rio e teria discutido com o PM quando o militar tentou sair do estacionamento do do centro comercial sem pagar.

Às 13h30 deste sábado, a informação foi confirmada pela assessoria do shopping, que disse “lamentar o ocorrido e transmite sua solidariedade aos familiares do colaborador”. O shopping informou que está “dando todo o suporte necessário aos entes da vítima”.

Nesta sexta-feira (15), imagens exclusivas de câmeras de segurança obtidas pela GloboNews mostraram o momento em que o funcionário foi atacado pelo PM Paulo Lins de Albuquerque Junior, que foi preso.

Na quinta-feira (14), a Polícia Civil pediu à Justiça do Rio a prisão do cabo da PM, que era lotado no 41º BPM (Irajá). De acordo com a polícia, o PM atirou na vítima depois de uma discussão na noite de quarta-feira (13) dentro do Shopping Nova América, em Del Castilho, Zona Norte do Rio.

O delegado Roberto Ramos, da 44ª DP (Inhaúma) informou que as provas reunidas foram suficientes para o pedido de prisão temporária por 30 dias do PM.

Para a Polícia Civil, o PM baleou a vítima após tentar sair do shopping sem pagar o estacionamento. Testemunhas relataram que o PM estava dirigindo um táxi. A polícia confirmou que o veículo pertencia ao pai do cabo. 

Em depoimento na delegacia, a polícia diz que o PM afirmou ter se sentido ameaçado pelo funcionário do shopping. Segundo o delegado responsável pela investigação, foi apurado que o PM já havia se envolvido em outras situações grave.

No dia em que atirou no funcionário do shopping, o policial estava na frente da esposa e do filho, que estavam no carro. O PM já tinha duas passagens em delegacias por ameaça com arma de fogo. A pena para o crime pode chegar a 30 anos de prisão.

G1