Paulo Pimenta: Golpista Temer e a agenda neoliberal para o país

Nesta segunda-feira (1º), a Câmara dos Deputados retorna depois do recesso legislativo já com um pacote de maldades acordadas pelo interino golpista Michel Temer e o novo presidente da Câmara. Na pauta da semana, o PLP 257/16 que congela salários do funcionalismo público e o projeto de José Serra (PSDB) que entrega o petróleo brasileiro para multinacionais estrangeiras e retoma o desmanche da Petrobrás, iniciado ainda nos anos 1990 pelo governo FHC, e interrompido durante os governos de Lula e Dilma.

Por essa proposta, já aprovada no Senado e em Comissão Especial da Câmara, a operação exclusiva do pré-sal é retirada das mãos da Petrobrás e a garantia da estatal participar com no mínimo de 30% dos consórcios de exploração é excluída.

A Petrobrás é o principal motor da economia brasileira, há uma cadeia de setores que funcionam intrinsecamente a essa que é uma das maiores empresas do mundo. Isso é uma ameaça à soberania brasileira.

Atualmente, o Brasil é o 14º país com a maior reserva de petróleo do mundo. Com a descoberta do pré-sal, o Brasil passa a ser o terceiro país com as maiores reservas mundiais, atrás apenas de Venezuela e Arábia Saudita.

No mundo todo, países que possuem grandes reservas controlam suas próprias riquezas, tanto que cerca de 93% dessas reservas estão em mãos de estatais. Então por que seria um bom negócio para o Brasil andar na contramão do mundo e entregar o controle de suas próprias riquezas?

Com Lula e Dilma, o Brasil se tornou uma das maiores economias do mundo, e com a descoberta do pré-sal tínhamos a garantia de um salto em saúde e educação e de um grande volume de investimentos pelas próximas décadas. Mas agora tudo está ameaçado pelo projeto entreguista dos golpistas, defensores da desigualdade social.

PLANO TEMER PARA SALVAR CUNHA

A rejeição a Temer cresce a cada minuto já que ele tem que cumprir acordos, feitos no submundo da política, que espantam a população brasileira. Como na última semana, quando ele entrou, mais uma vez, em campo para salvar Eduardo Cunha. Temer quer que a votação de cassação do mandato de Cunha ocorra só depois da palavra final do Senado sobre o golpe contra Dilma. E quer também que a votação ocorra de maneira “discreta”, de madrugada e sem a cobertura da mídia. Se for cassado, Cunha já avisou que vai ligar a metralhadora giratória e fazer desmoronar, ainda mais, o governo golpista. Do que Temer tem medo? O Brasil tem direito de saber o que Cunha sabe sobre Temer que ainda não foi revelado à população.

RESISTÊNCIA: VOLTA DILMA

Se enganam aqueles que pensam que o golpe no Brasil está consolidado. A percepção de que Dilma foi afastada para que corruptos se beneficiassem com proteção no governo Temer, os cortes em gastos públicos e os retrocessos já começam a ser sentidos diretamente pela população brasileira, que reage. São 81% os brasileiros que querem o “Fora Temer”, e há um expressivo número de senadores que ainda não declarou seu voto. Portanto, precisamos manter nossa resistência e não aceitar esse discurso da mídia que tenta naturalizar o golpe e dá-lo como algo certo. Golpistas não terão sossego!

Deputado Federal Paulo Pimenta