Patrícia Miguez: Diretas já!

58% da população não apoia o “governo” de Michel Temer, e não é por menos: tendo assumido como “presidente”, ele já deu indícios claros de que haverão cortes em programas sociais e que a CLT será flexibilizada, só pra começar.

Uma próxima eleição ocorrerá apenas em 2018 e, sendo assim, os próximos dois anos devem ser duros para os trabalhadores e para a parcela mais pobre da população – justamente aquela que depende dos programas sociais.

Nossa única esperança reside em novas eleições, porque, em dois anos, muitos direitos podem ser retirados e um grande retrocesso pode acontecer. Mais do que nunca, precisamos nos unir e tomar as ruas. Precisamos parar tudo e fazer barulho até que nos tornemos tão ensurdecedores que não possamos ser ignorados.

FORA TEMER!


Leia mais