Para o Planalto, relatório na CCJ será pela admissibilidade da denúncia

Michel Temer já não pode conta mais nem o próprio partido. Visto como independentes, o presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG) e o relator da denúncia, Sérgio Zveiter (PMDB-RJ) não foram convencidos a trabalharem pela rejeição. O Planalto tem convicção de que o relatório será favorável aos prosseguimento da denúncia de corrupção passiva.




Zveiter já concluiu o relatório que será apresentado na CCJ dia (10).

A delação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que aponta contra Temer e seus ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, da Secretaria-Geral, só faz piorar a situação do governo.

Além disso, boa parte dos parlamentares do PMDB já estão em sintonia com Rodrigo Maia. A autorização ao STF por parte da Câmara contará com muitos votos de deputados do partido de Temer.

Com informações do Jornal Nacional.