O suspeito que faltava nas delações: Padilha recebeu R$ 1 milhão da Odebrecht

Eliseu Padilha, Chefe da Casa Civil do Governo Temer, aparece em planilha de pagamento do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht. De acordo com o documento, que foi apreendido pela PF na casa da ex-funcionária da empresa, Maria Lúcia Tavares, o valor do pagamento a Padilha é de R$ 1 milhão.

Esta é mais uma das revelações de pagamento de propina da delação do ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho envolvendo a alta cúpula do governo. Ele afirma que o dinheiro doado ao PMDB foi destinado a Paulo Skaf (R$ 6 milhões) e a Eliseu Padilha (R$ 4 milhões).



Na planilha aparece o codinome “Angorá”, usado pela empresa para se referir a Moreira Franco. Segundo a Odebrecht, os dois se confundiriam nos mesmos papéis. Sobre isso, Cláudio Melo explica: “No caso em concreto, o codinome utilizado pelo setor de operações estruturadas para definir Eliseu Padilha nesta operação financeira foi ‘Angorá’”.

Segundo o delator, o total de R$ 10 milhões de doações para o PMDB teria sido pedido em 2014 pelo presidente Michel Temer, o que o Palácio nega. Contribuições oficiais da Odebrecht ao PMDB em 2014 totalizaram R$ 11,3 milhões, pagos entre 5 de setembro e 23 de outubro.

Circularam na tarde de ontem em Brasília boatos de que Padilha também renunciaria, mas ele desmentiu dizendo que não deixaria Temer na mão.

Via Fórum


Leia mais