Patrícia Miguez: O brasileiro não tem consciência de classe – mais conhecido como “pobre de direita”

Imagine a seguinte situação: você tem, em sua casa, uma infestação de cupins. Então você caminha até a loja do seu bairro em busca de cupinicida. Ao chegar em casa, procura a fonte da infestação e aplica o produto. O que acontece logo em seguida? Muito provavelmente alguns dos insetos tentarão fugir; outros, que não conseguirão, irão morrer em decorrência da ação do veneno aplicado.

O que nos leva ao ponto de que até cupins são mais inteligentes do que alguns brasileiros.

Se fossem cupins, alguns de nós não só torceriam para que o cupinicida fosse aplicado como provavelmente organizariam passeatas pedindo a volta dele; outros, ainda, fariam uma réplica em tamanho aumentado do produto, em versão inflável – e ainda se achariam mais inteligentes que os outros cupins por isso.

Sim, é exatamente isto que ocorre no Brasil: acredite, se você não é milionário, dono de um grande veículo de comunicações, de uma grande cadeia de lojas, latifundiário, banqueiro ou afins, governos de direita não estão ao seu lado. E nunca estarão.

Já disse Malcolm X: “Se não estás prevenido ante os meios de comunicação, te farão amar o opressor e odiar o oprimido.


Leia mais