Noblat se recusa a explicar o porquê de ter antecipado condenação de Lula via rede social

O jornalista Ricardo Noblat se recusou a explicar as circunstâncias e a fonte de uma publicação escrita por ele em redes sociais que anteciparia uma decisão judicial sobre um processo ainda em fase de instrução. A recusa se deu no âmbito de uma interpelação judicial promovida pelos advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que agora podem interpor uma queixa-crime contra o jornalista.

O caso teve início em dezembro do ano passado. Após ser instado por seguidores de sua conta no Twitter a revelar um “furo” jornalístico, Noblat publicou a seguinte declaração: “(O juiz Sérgio) Moro condenará Lula no início do ano. Mas não mandará prendê-lo. Satisfeito?”. Em publicação anterior, o mesmo jornalista afirmara: “Nine (nove, em inglês). É assim que Moro se refere a Lula quando está entre amigos”.




Considerando que a ação judicial que corre contra Lula na 13ª Vara Federal de Curitiba, presidida por Moro, estava longe de acabar – como efetivamente não terminou até agora – quando Noblat publicou seu prognóstico, a defesa do ex-presidente foi à Justiça para que o jornalista revelasse a fonte de sua informação. Afinal, tivesse a ação judicial um resultado já pré-estabelecido antes mesmo da oitiva das testemunhas, restaria clara a fraude processual.

Por isso, a ação pedia a Noblat que explicasse se efetivamente as publicações se baseiam em juízo de valor do próprio jornalista – o que se afasta do conceito de “furo”- ou se houve contato com o juiz Federal Sérgio Fernando Moro ou com algum documento ou minuta por ele elaborada. 

Ricardo Noblat, no entanto, se recusou a responder. No último dia 13, os advogados do jornalista disseram à Justiça que seu cliente “exercerá sua faculdade de não responder aos quesitos apresentados, sem que isso indique qualquer explanação sobre autoria ou dolo”.

Conforme explica Cristiano Zanin Martins, advogado de Lula, a Interpelação Criminal é medida preparatória de eventual queixa-crime por delitos contra a honra do ex-presidente. Com a recusa de Noblat a respondê-la, estabelece-se a possibilidade de abertura de uma ação penal contra o jornalista.

Via Lula