Início Notícias Niterói é a primeira cidade do Estado do RJ a ter um Conselho LGBT

Niterói é a primeira cidade do Estado do RJ a ter um Conselho LGBT

Militante histórico dos direitos humanos e da causa de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, o vereador Leonardo Giordano (PCdoB) participou, no último dia 28, no Solar do Jambeiro, da cerimônia de posse do Conselho Municipal dos Direitos LGBT, primeiro do Estado do Rio de Janeiro e presidido por uma mulher transexual, Bruna Benevides. Um dos fundadores do Grupo Diversidade Niterói (GDN) e da Parada LGBT na cidade, Giordano destacou a luta incessante da militância niteroiense e do governo municipal de empoderar o movimento, mas ressaltou o tamanho do desafio que ainda se tem pela frente.




“É elogiável a atitude do nosso prefeito e sobretudo a luta que leva isso a se tornar um fato, encontrando um governo amistoso e que promove os direitos humanos, mas ao mesmo tempo significa fato grave que Niterói seja a primeira cidade do Estado do a ter um Conselho LGBT empossado. Significa que essa luta, que é dura, cotidiana e que ceifa vidas, ainda tem muito o que percorrer para que direitos sejam de fato respeitados. A gente deve seguir lutando com cada vez mais força usando elementos deste conselho”.

Presidenta do coletivo, Bruna Benevides fez um diagnóstico das políticas públicas para LGBT no Estado e na cidade. “Me sinto honrada por ser a primeira travesti presidenta deste Conselho, primeiro do Estado e quarto do Brasil, neste momento em que vemos o desmonte da política pública LGBT. Aqui em Niterói, infelizmente, nós temos um centro de cidadania que praticamente não funciona. O Rio sem Homofobia está na UTI e precisando de nossa ajuda. O Conselho surge com essa obrigação de assumir os casos de violência e de violação dos direitos humanos que são diários na nossa cidade”.

Bruna, que também faz parte das duas maiores redes nacionais, a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) e Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), afirmou ainda que não há mais nenhuma possibilidade de regredir. “A partir de agora continuaremos avançando firmes e fortes nessa luta que não se iniciou hoje. Pra nós estarmos aqui hoje muito sangue foi derramado, muitas pessoas foram perseguidas, morreram e tiveram seus direitos negados. Hoje é um dia importantíssimo pra que a gente não perca a nossa história, pra que saibamos de onde nós viemos e onde nós queremos chegar”.




Primeiro prefeito de Niterói a participar da Parada LGBT de Niterói, segundo maior evento da cidade em aglomeração de pessoas, Rodrigo Neves afirmou que a cidade vai vencer a batalha contra a homofobia. “A oficialização do Conselho e a posse da Bruna como presidenta não é um favor do prefeito, é uma conquista do movimento LGBT de Niterói e dessa militância que luta, que resiste e que participa”.

Dentre as atribuições do Conselho estão desenvolver ação integrada e articulada com as secretarias e demais órgãos públicos visando implementar políticas públicas comprometidas com a superação das discriminações e desigualdades devido à orientação sexual e identidade de gênero. A próxima reunião do Conselho LGBT acontece no dia 19 de setembro, às 18h30, no auditório da Câmara Municipal de Niterói, que fica na Avenida Ernani do Amaral Peixoto, 625, Centro.

Participaram da cerimônia o deputado estadual Waldeck Carneiro (PT), Gilmar Hughes, sub-secretário da Coordenadoria de Defesa dos Direitos Difusos e Enfrentamento à Intolerância Religiosa (Codir), Felipe Carvalho, presidente do GDN, Verônica Lima, secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Rita Góes, presidenta do Grupo Sete Cores e Tânia Albuquerque, da OAB-Niterói, além de ativistas e sociedade civil.

Assessoria de Imprensa do vereador Leonardo Giordano (PC do B-RJ).
Foto: Rebecca Belchior/UJS-Niterói


Leia também

MP-SP abre inquérito contra Alckmin por improbidade administrativa

Ministério Público de São Paulo abriu nesta sexta-feira (20) um inquérito civil para inves…