Ney Santos (PRB-SP) não vai à posse para não ser preso; partido da igreja universal cogitou expulsá-lo?

O prefeito eleito de Embu das Artes, Ney Santos (PRB), não compareceu à própria cerimônia de posse marcada para a manhã desta quarta-feira (25). Apesar de a Justiça ter liberado a diplomação dele na última semana, ele corria o risco de ser preso e não foi à sessão da Câmara desta quarta, onde moradores o esperavam para acompanhar a posse.

Santos está foragido desde o dia 9 de dezembro por suspeita de associação com o crime organizado e tráfico de drogas. O prefeito eleito chegou a ter a candidatura barrada por causa da lei da Ficha Limpa, mas entrou com recurso e se elegeu com 79% dos votos.




No dia 15 de dezembro, a Justiça suspendeu a diplomação do prefeito e do vice a pedido do Ministério Público, decisão que foi revertida por um ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na quarta-feira (18), o vice-prefeito, Peter Calderoni (PMDB), foi diplomado no Fórum da cidade e o prefeito eleito, diplomado por procuração.

Nesta quarta, além do prefeito eleito, a maioria dos vereadores da cidade não compareceu à sessão da Câmara. Apenas dois dos seis legisladores necessários para haver quórum compareceram. O vice eleito, Peter Calderoni, esteve na sessão, mas não pôde assumir o cargo.

Segundo o SPTV, Ney Santos tenta a emissão de um habeas corpus. Por enquanto, é o presidente da câmara, Hugo Prado, que está tocando a Prefeitura da cidade.

Uma nova sessão extraordinária foi marcada para sexta-feira (27). Caso Santos não tome posse, isso poderá ocorrer na sessão ordinária do dia 1º de fevereiro. Se a situação não for solucionada, a Câmara poderá declarar a vacância do cargo.

Via G1