Metade dos gastos com os cartões corporativos da União são secretos

O governo federal terminou 2016 sem mudar a baixa transparência dos gastos com os cartões corporativos da União. Os dados disponíveis no Portal da Transparência do governo se referem até o fim de outubro e mostram que despesas protegidas pelo sigilo de informação correspondem a praticamente os mesmos 50% dos gastos de 2015. Até o fim de outubro, dos R$ 46,9 milhões em despesas pagas com os cartões, cerca de 23,6 milhões são secretos. Em 2015, de um total de R$ 56,2 milhões em gastos, R$ 28 milhões têm conteúdo fechado.

A quase totalidade das despesas secretas se divide em órgãos subordinados à Presidência da República e ao Ministério da Justiça. O governo Temer é responsável apenas por cinco meses das despesas. O restante é do governo Dilma.




Em dez meses de 2016, a Polícia Federal já teve R$ 11,5 milhões em gastos secretos, contra R$ 13,5 milhões do ano passado. Já a Abin teve R$ 6,6 milhões contra R$ 8 milhões de 2015. O sigilo tem sido justificado pela natureza da atividade dos órgãos.

Dentro da Presidência são fartas as despesas protegidas. A Secretaria de Administração fez R$ 4,3 milhões em gastos secretos. Já a Vice-presidência outros R$ 616 mil.

Via Coluna do Estadão