Lula: ‘Quanto mais ódio alimentarem, mais eu vou crescer. Daqui a pouco estou que nem um pokémon’

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva provocou o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), insinuando que o tucano defende mudanças na Lei Maria da Penha para reprimir a própria mulher.

Ao discursar, nesta segunda (15), em ato pelos dez anos da Lei Maria da Penha, Lula criticou a proposta defendida por Aloysio, que é relator do assunto na Comissão de Constituição e Justiça do Senado.

O novo texto permite que medidas para proteção de mulheres vítimas de violência doméstica sejam adotadas pelos delegados –hoje essa é uma prerrogativa dos juízes.

“O senador Aloysio Nunes, um homem que foi da UNE, que se diz de esquerda, avançado e socialista, é um troglodita. Quer mudar a lei certamente para reprimir a mulher. Ele quer fazer alguma coisa com ela e, por isso, mudou a lei”, disse.

Segundo o projeto, o delegado pode aplicar medidas protetivas em caso de risco iminente à mulher e deve comunicar tal decisão a um juiz em até 24 horas, para que o magistrado possa manter ou reverter a decisão.

Movimentos feministas, porém, veem a alteração com ressalva e afirmam que o tema deve ser melhor debatido. Além disso, argumentam que a medida desequilibraria o sistema jurídico e reforça os poderes da polícia.

Antes de criticar Aloysio, Lula afirmou que, em muitos casos, o agressor não é condenado e a vítima não tem coragem de denunciar.

“Estamos aprendendo a exercer a lei [Maria da Penha] e vimos aqui que querem mudar [a lei]”, disse antes de mencionar o senador tucano.

Procurada pela Folha, a assessoria de Aloysio não foi localizada para comentar o caso até a publicação desta reportagem.

O ato aconteceu também em solidariedade à dona Marisa Letícia, mulher do ex-presidente.

A ex-primeira-dama foi intimada a prestar depoimento nas investigações sobre o sítio em Atibaia (SP) que a família frequenta, mas afirmou que vai permanecer calada, como permite a lei.

CANDIDATURA

Lula disse ainda que há uma tentativa legal de impedir sua possível candidatura à Presidência em 2018.

“Eles que se preparem, que alimentem o ódio. Quanto mais ódio alimentarem, mais eu vou crescer. Daqui a pouco estou que nem um pokémon”, disse.

“O objetivos deles é criar qualquer impedimento legal para não deixar que o PT volte a governar este país. Quando falo PT, é não deixar o Lula voltar a governar o país”, completou.

Lula também disse que se sentiu no filme “Esqueceram de Mim” ao assistir à abertura dos Jogos Olímpicos do Rio.

“Não existiria Olimpíada no Brasil se não fosse eu”, afirmou. Ele lamentou ainda não ter sido convidado para a abertura da Copa do Mundo, em 2014. “Rei posto. Rei Morto”, disse.

Mais uma vez, o ex-presidente recomendou que seus as adversários se preparem. “Porque em 2018, o PT voltará a governar o Brasil.”

E encerrou: “Até a vitória”.

(Folhapress)


Leia mais