Luciana Oliveira: O chororô dos crocodilos

Se Andrea Neves recebeu ou não propina da Odebrecht numa conta em Nova York para repassar ao irmão, o senador tucano Aécio Neves, cabe a justiça provar.

Mas, não há dúvidas de que a dupla mente ao forjar estupefação com o jeito Veja de transmitir uma notícia.

Agora, depois de testemunhar em silêncio a moral de tantos tombar com manchetes sensacionalistas, alegam que a revista mente.




Descobriram tardiamente a tradição da revista em distorcer e inventar fatos pra favorecer determinado cliente.

Ambos mentem e fingem que não estão morrendo de medo no lugar de alvos da Veja.

No auge da campanha presidencial os colunistas elogiavam o desempenho de Aécio nos debates e ridicularizavam Dilma Rousseff como uma adversária assustada e agressiva.

Era mentira.

A foto que Veja usou na capa pra insinuar que a presidenta eleita vinha tendo “explosões nervosas”, em inequívoco descontrole emocional para seguir governando, não foi tirada numa reunião ministerial, nem com bancada parlamentar.

Era mentira.

Dilma terrorista, incompetente, fria.

Era tudo mentira.

A verdade que saltava aos olhos nas capas da Veja era a misoginia presente nos textos e imagens para fragilizar Dilma no calvário rumo ao cadafalso erguido pelos golpistas.

Os Neves não denunciaram manipulação dos fatos.

Agora é “A Vez de Aécio”, diz a capa mais fresca da revista.

Não adianta Andrea Neves chorar.

Não se importaram com Dilma e com todas as vítimas da Veja, agora ninguém se importa com eles..

Ninguém dá a mínima se Andrea sabe de onde vem o ódio que colocou Aécio na mira da Veja.

Tudo que ele fez da derrota nas urnas até o desfecho do impeachment, sem crime, foi tentar faturar politicamente a cada manchete mentirosa da revista para destruir Lula, Dilma, a esquerda.

Aécio sabe melhor do que ninguém como potencializar ódio a partir de sensacionalismo midiático.

Ele e a irmã que descubram como se defender.

Os princípios do jornalismo, os valores morais e éticos que foram relativizados em manchetes oportunistas contra Dilma não serão invocados em solidariedade a Aécio.

Quem inventou de patrocinar credibilidade à Veja que tenha a firmeza de desinventar.

“É cansativo, ser mau”.