Lindbergh Farias volta a ser condenado pela justiça do Rio; senador perde os direitos políticos por 5 anos

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) voltou a ser condenado pela Justiça do Rio nesta segunda-feira (19). Ex-prefeito de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, ele é acusado de improbidade administrativa e o Tribunal de Justiça do Rio determinou a suspensão de direitos políticos por 5 anos e multa de R$ 640 mil. O senador vai recorrer. É a segunda condenação sofrida por Lindbergh em uma semana.

Desta vez, a ação proposta pelo Ministério Público vê um “acordo político” com o ex-vereador José Agostinho de Souza. Segundo o órgão, familiares do parlamentar, segundo a investigação, foram nomeados para cargos na prefeitura em troca de “favores políticos”. Ainda segundo a ação, com o suposto acordo do senador com o ex-vereador, familiares de Agostinho teriam sido empregados na prefeitura para favorecer o parlamentar em CPIs.




Na sentença, o magistrado afirma que familiares e correligionários nomeados a pedido do ex-vereador dizem que eram lotados em centros sociais, mas que trabalhavam na campanha do hoje senador. Na semana passada, o mesmo juiz, Gustavo Quintanilha Teles de Menezes, condenou Lindbergh por uso promocional de sua imagem durante campanha para a reeleição à prefeitura da cidade. Ele distribuiu caixas de leite e cadernetas de controle com o logotipo do governo. Neste caso, a multa estipulada foi de R$ 480 mil.

Através da assessoria de imprensa, o senador chamou a acusação de “esdrúxula”.

“Pela segunda vez em menos de uma semana, o mesmo juiz de primeira instância suspende os meus direitos políticos e aplica uma multa exorbitante por uma acusação esdrúxula. Me estranha que processos que se arrastavam por quase uma década sejam repentinamente alvo de decisão do mesmo magistrado, ignorando inclusive a decisão do STF de arquivamento de inquéritos com o mesmo objeto. A perseguição é mais do que explícita”, diz.

Via G1