Início Colunas LGBTFOBIA, temos que dar um basta!!!!!!

LGBTFOBIA, temos que dar um basta!!!!!!

Parece que o preconceito e a violência contras as pessoas LGBT não tem fim, uma vez eu ouvi em uma entrevista um autor dizer que no Brasil o preconceito é velado. Eu acho que o brasileiro tem o péssimo hábito de minimizar seus erros, uma vez que o preconceito no Brasil é altamente explicito, é só vermos a atenção que a mídia dá aos casos de violência contra pessoas LGBT, ou seja nenhum. As pessoas LGBT vivem infelizmente à margem da lei. Os próprios índices do ESTADO em relação a esse tipo de violência são absurdamente maquiados.

Essa necessidade social de controlar a vida sexual e identidade das pessoas que se identificam como LGBT já passou dos limites, ou melhor, era para nunca ter existido. E isso tudo está diretamente relacionado a sociedade patriarcal e tradicional que nós vivemos, seja ela relacionada a religião, machismo e etc…

Inclusive presenciei um caso absurdo de preconceito essa semana, na qual um casal de mulheres estavam abraçadas em uma piscina. Elas não estavam fazendo absolutamente nada de errado (o que seria errado?), mas começou o frenesi e a baixaria por parte de alguns moradores que começaram a cuspir o Regimento Interno falando que elas estavam atentando contra a moralidade e bons costumes, ora bolas! Cansei de ver casais “convencionais” se agarrando na mesma piscina e nada fizeram. Bem, começaram a ligar para a portaria pedindo uma intervenção na piscina, mas os funcionários sabiamente nada fizeram pois houve o mesmo entendimento de que nada estava acontecendo de errado.

O discurso sempre é escondido pela hipocrisia, a justificativa foi o maldito Regimento Interno, mas nós sabemos que a preocupação é outra. Principalmente nas conversas de whatsapp do grupo do condomínio onde uma das moradoras deixa bem claro que “era o casal homossexual namorando”.

A piscina estava cheia de crianças, afinal era carnaval e elas estavam de folgas escolares, mas as crianças não estavam nem um pouco preocupadas com o que o casal estava fazendo, isso que é interessante e bonito de se ver, pois a maldade está e sempre esteve na cabeça do adulto, que cria essa falácia de dizer que um casal de homossexuais pode afetar a identidade de uma criança, o que é uma besteira sem fim, mesmo com comprovação científica. É mais fácil acreditar em “mamadeira de piroca”ou “Kit-gay”, fazer o quê? Existe várias formas de disseminar o preconceito  e um deles começa com uma sinalização incoerente de um adulto ao ver um casal homossexual: “se um deles fosse meu filho eu meteria a porrada”.  E aí pronto, a criança escuta e as chances do preconceito disseminar são altíssimas .

Mas voltando ao assunto da piscina, após um tempo veio a “PSEUDO-SALVADORA” DA PÁTRIA, que não responde pelo condomínio, por ser uma simples moradora e “conversou” com o casal pedindo para que elas parassem de se abraçar…. E mais uma vez a intolerância, e a falta de amor ao próximo venceu.

Realmente temos muito que evoluir como seres humanos. :/

 

Wallace Ouverney
Diretor da Secretaria de Formação Politica do Sindipetro-ES desde 2015, Diretor Estadual CTB-ES e membro da Associação Cultural José Martí(ACJM/ES). 


Leia também

“No Brasil o fundo do poço é apenas uma etapa”

Me sinto desanimado. A situação aqui na empresa que trabalho é desanimadora. A situação no…