João Alexandre Goulart: Para quem ainda fala sem saber em comunismo

Se não tivéssemos sofrido o Golpe de 64 este país seria hoje uma Potência Mundial por conta das Reformas de Base.

Jamais seriamos um país comunista como muitos afirmam.

Jango era um Trabalhista. Acreditava no social e tinha um projeto claro de desenvolvimento.




Desejava sim um capitalismo justo que não explorasse o suor do povo brasileiro com migalhas como muitas empresas o fazem ao investir aqui levando consigo a maior parte do lucro explorado para seu país de origem.

Naquela época era necessária uma medida justa pois fazer de nosso país o quintal de expansão dos Estados Unidos ou quem quer que fosse para exploração de nosso povo era algo que Jango jamais aceitara. (Vide Lei de Remessas de Lucro). Jango era um Legalista, um Progressista voltado para o social o que o tornava um Trabalhista como o foi Alberto Pasqualini e Getúlio Vargas e Brizola.

Muito do que meu avô procurou fazer com as Reformas de Base se deu com a influência ideológica de Alberto Pasqualini. Estado de Bem-Estar presente para fomentar e gerar justiça social para as pessoas e incluir os excluídos. Por isso acho fundamental debatermos o Trabalhismo dentro do Partido dos Trabalhadores.

João Alexandre Goulart, neto de Jango, publicitário e recém filiado ao Partido dos Trabalhadores.


Leia mais