‘Jestão’ Doria deixa médicos de São Paulo com salários atrasados

Parte dos médicos que atuam no programa Mais Médicos na capital paulista estão com os salários de junho atrasados. Em e-mail recebido pelos médicos, a Secretaria Municipal da Saúde diz que aguarda a liberação de recursos da Secretaria de Finanças.




Apesar de ser um programa federal, em maio de 2016, a Prefeitura de São Paulo abriu um edital para a contratação de mais profissionais do programa. Neste edital, a prefeitura assumiu o custo da bolsa formação dos médicos, de cerca de R$10 mil – que, em regra, cabe ao Ministério da Saúde. Este foi um Acordo de Cooperação previsto na lei para ampliar o programa. Apenas os contratados exclusivamente pelo município estão com os salários atrasados.

A Secretaria da Fazenda informou que “lamenta que houve um descompasso técnico na execução do fluxo de caixa do programa”. A pasta disse ainda que o pagamento deve ser feito “ainda nesta semana”.

Atualmente, São Paulo conta com 289 médicos do programa. Segundo a Prefeitura, pelo menos 63 deles estão com os salários atrasados. Estes, que estão sem salários, foram contratados no edital de maio de 2016, e tem contrato previsto para atuarem no município até 2019.

Além dos custos da bolsa, a Prefeitura arca com os custos de auxílio alimentação, moradia e transporte, de cerca de R$3,5 mil.

Um dos médicos que está sem salário e prefere não se identificar disse que esta semana não conseguiu ir trabalhar. “Estou tendo que usar meu banco de horas para não marcar como falta”. Ele está preocupado com seus pacientes que precisam de acompanhamento constante, como os que sofrem de hipertensão. Segundo ele, ainda não foi dada previsão de pagamento aos médicos.

Paula Paiva Paulo – G1