Iremar Marinho: Eleição antecipada só para presidente é mais uma pauta golpista dos corruptos

Um olhar vesgo sobre a política brasileira é o que pode enxergar como sensata a defesa da antecipação de eleições apenas para presidente da República, como forma de superar o regime de terra arrasada implantado no país pelo golpe político-midiático-judiciário.

Temos um Congresso formado, em sua maioria, por corruptos de carteirinha, que continuam mandando as cartas na política, e só a presidente Dilma Rousseff, contra a qual não se provou o roubo sequer de um alfinete, não merecia governar e teve seu mandato legítimo cassado. É isso?

A obviedade é que não adiantaria mudar só o presidente, – mesmo que a esquerda vencesse a eleição, – e o novo governo continuasse nas mãos do Congresso de maioria corrupta, embora se saiba que um novo governo popular poderia lançar mãos de mecanismos constitucionais que lhe permitissem governar sem se render à barganha e ao achaque do Legislativo.

Ou se faz eleições gerais agora e para um novo Congresso também com atribuição de Constituinte ou o país vai sangrar até 2018, com ou sem o usurpador Temer no poder. O que o país sensato não pode é adotar a pauta do partido corrupto PSDB, de antecipação de eleições, como forma de se livrar do seu comparsa usurpador do PMDB.

O corrupto Temer, que está no poder apenas porque era vice de Dilma Rousseff, não inspira confiança sequer do PSDB e outros partidos golpistas, mesmo que esteja colocando em prática a política da direita neoliberal do Estado mínimo ou dilapidado, contra o povo e em favor da classe econômica poderosa, como forma se segurar por mais dois anos no comando do golpe.

Os golpistas do PSDB, parte do PMDB e demais aliados querem antecipar a eleição apenas para presidente, porque sabem que é o momento de aproveitar Lula e Dilma sob o fogo da artilharia pesada da mídia golpista e do Judiciário de exceção.

Lastreados em mentiras sobre horrores de Atibaia, triplex fantasma e barco fantasma de lata, eles tentam, com nova eleição, garantir pelo menos mais quatro anos de destruição das conquistas do povo brasileiro, dos últimos 12 anos dos governos de inclusão social e de inserção do Brasil no concerto das maiores nações do mundo.

Não vingando a convocação de eleições gerais, a chance do povo brasileiro só virá em 2018, com a candidatura de Lula muito fortalecida, em decorrência dos desmandos do usurpador Temer, e podendo até ter Dilma Rousseff como vice-presidente.

Ah, 2018 vai demorar! Não vai, não!

Em janeiro de 2017 já estaremos com a candidatura de Lula Presidente nas ruas!

O que vamos precisar é manter e intensificar a força que estamos manifestando agora contra o governo ilegítimo do usurpador Temer, nas ruas, todos os dias, todas as horas e em todo o país.


Leia mais