‘Império’ tucano em SP consegue uma proeza: USP não é mais a nº 1 no ranking das universidades

Pela primeira vez desde que o RUF (Ranking Universitário Folha) foi criado, a USP perde a liderança na lista de universidades brasileiras e também na de cursos.

O ranking, que existe há cinco anos, classifica nesta edição 195 universidades, identificadas por Estado, natureza administrativa, tamanho e idade. O caderno traz também 40 rankings das instituições de ensino superior com os cursos de maior demanda nacional, como por exemplo medicina e design.

Com 97,46 pontos –0,43 a mais que a USP–, a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) ultrapassa a estadual paulista na avaliação de universidades.




O RUF é calculado a partir de cinco indicadores: pesquisa, ensino, mercado, inovação e internacionalização (veja gráfico ao lado).

A USP zera em um dos componentes do indicador do ensino que vale quatro pontos, e que se baseia na nota do Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes). A universidade não participa da prova.

Se tivesse a mesma nota da UFRJ (3,17) no Enade, a USP voltaria ao topo do ranking.

Neste ano, a USP ocupa o 1º lugar apenas em nove das 40 carreiras avaliadas – contra 29 do ano passado.

A Unicamp é campeã nos rankings de cursos, à frente de 14 deles. A única universidade particular em 1º lugar em um curso, o de moda, é a Anhembi Morumbi (SP).

O RUF mudou o cálculo dos indicadores de mercado e de ensino. Agora, são usadas pesquisas de opinião com empregadores e docentes feitas pelo Datafolha nos últimos três anos.

Leia mais na Folha.