Governo Temer vende principal gasoduto da Petrobras a consórcio canadense

Um consórcio liderado pela canadense Brookfield chegou a um acordo com a Petrobras para comprar 90 por cento da unidade de gasodutos Nova Transportadora Sudeste (NTS) da estatal, em negócio de aproximadamente 5,2 bilhões de dólares.

A Brookfield vai deter uma participação de controladora no consórcio, que também inclui os fundos CIC Capital Corp, da China, e GIC Private, de Cingapura, que são clientes da Brookfield Asset Management, e o fundo de pensões de British Columbia, no Canadá.




A Reuters havia antecipado o valor da operação, em 8 de setembro, citando fonte com conhecimento direto do assunto.

A Petrobras informou nesta sexta-feira que a primeira parcela do montante acordado, correspondente a 84 por cento do valor total (4,34 bilhões de dólares), será paga no fechamento da operação e o restante (850 milhões de dólares), em cinco anos.

O acordo para a venda da NTS, que tem cerca de 2,5 mil quilômetros de gasodutos no Sudeste do Brasil, representa o maior desinvestimento até o momento dentro do plano da Petrobras de vender 15,1 bilhões de dólares em ativos em 2015 e 2016.

A estatal busca venda de ativos para abater parte de sua enorme dívida –que somou em termos líquidos 332,39 bilhões de reais em 30 de junho–, a maior de uma petroleira no mundo.

“Essa operação abre oportunidades para que parcerias com outras empresas, com larga experiência e condições de investimento, contribuam para o fortalecimento da indústria de gás natural no Brasil”, afirmou a Petrobras em nota.

A estatal afirmou ainda que o acordo fomenta também novos investimentos na ampliação da infraestrutura de transporte de gás, com o objetivo de criar um modelo de desverticalização da cadeia de gás natural.

A estatal brasileira, como dona de 10 por cento da NTS, terá direitos de governança habituais compatíveis com o tamanho de sua participação.

O investimento da Brookfield Infrastructure BIP_pc.TOBIP.N será de cerca de 20 por cento do negócio, enquanto a Brookfield Asset Management concordou em participar inicialmente com cerca de 30 por cento de fatia no consórcio.

A conclusão da transação está sujeita à aprovação da Assembleia Geral da Petrobras e a determinadas condições precedentes usuais, incluindo a aprovação pelos órgãos reguladores competentes.

A Brookfield é uma das maiores gestoras de ativos do mundo, com mais de 200 bilhões de dólares sob administração e vasta experiência em ativos de infraestrutura e energia, cujo portfolio inclui empresas com mais de 14 mil quilômetros de gasodutos nos EUA, Canadá e Austrália.

(Reuters)