Governo Temer-PSDB incia o desmonte da indústria naval brasileira

A Transpetro, subsidiária de logística da Petrobrás, quer se tornar mais enxuta, competitiva e buscar clientes para além de sua controladora. O plano foi explicitado nesta quinta-feira, 27, pelo presidente da subsidiária, Antonio Rubens Silva.

Uma das mudanças inclui abandonar a diretriz de contratar a construção de navios próprios com estaleiros nacionais, desfazendo a política dos governos do PT de usar a demanda da Petrobrás para impulsionar a indústria naval. “A Transpetro está estruturada para a busca de novas oportunidades no mercado. Estamos em processo acelerado de otimização de custos e gestão. A empresa está determinada a ser cada vez mais competitiva”, disse Silva, em palestra no último dia da feira Rio Oil & Gas. Segundo Silva, a empresa já está em “consultas e conversas” para “trazer bons negócios”.



Nesse quadro, o executivo informou nesta quinta-feria, 27, que a empresa cancelou a contratação de 17 navios previstos no Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef). Segundo Silva, são embarcações que nem começaram a ser construídas e todos os pedidos tiveram contratos rescindidos. O Promef era um dos principais programas da Transpetro sob a gestão de Sérgio Machado, ex-presidente da subsidiária e um dos delatores de caciques do PMDB na Operação Lava Jato.

Leia mais no Estado de São Paulo.


Leia mais