Globo tenta defender os procuradores que denunciaram Lula com convicção

O portal de notícias da Globo, G1, publicou uma matéria no intuito de proteger a atuação perversa do Ministério Público Federal contra o ex-presidente Lula. No subtítulo, Utilizaram a seguinte frase: “Não. Deltan Dallagnol não falou literalmente a frase que viralizou”.

A publicação, que leva o título: “Afinal, procurador da Lava Jato disse ‘não temos prova, temos convicção’?”, induz o leitor a crer que as diversas gozações observadas na internet com a frase “não temos provas, mas temos convicção” não têm fundamento; para isso, é explicado que os termos “convicção” e prova” são utilizados em momentos distintos.sem-titulo

O fato é que nada do que o portal da família Marinho escreveu maximiza a atuação “circense” dos procuradores Deltan Dallagnol e Henrique Pozzobon. É certo que ele utilizaram os termos em tempos distintos, mas o conteúdo da denúncia é, sim, fruto de uma convicção e que não há provas para o embasamento denúncia.




A frase que se espalhou tem fundamento, sim. O que realmente acontece é que existe um desejo enorme de acabar com a carreira política de um líder popular, e para isso é valido fazer uma denúncia totalmente carente de provas.

O país está convicto que o Ministério público Federal ficou com a imagem ainda mais denegrida devido à “show” dado pelos “patetas” na tarde dessa quarta-feira (14).