Gleisi Hoffmann: Eles têm pressa em dar o golpe!

“Hipócritas! Hipócritas! Hipócritas!” Esse é o grito que está ecoando nos corredores do Congresso Nacional depois da aprovação do relatório que recomenda o julgamento de Dilma Rousseff por crime de responsabilidade.

Há três meses, estamos vivendo esse processo que uns chamam de impeachment, mas nós chamamos de golpe. É golpe porque não encontra base legal, não encontra base constitucional. Por quais crimes a Dilma está sendo julgada? Não há crime praticado pela presidenta da República. Nem crime comum, nem crime de responsabilidade. As pedaladas fiscais, a principal acusação, caiu.

Estamos diante de um golpe que começou a ser construído há muito tempo, antes do segundo turno das eleições de 2014, quando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse ao País que os votos dados à Dilma e ao PT eram de nordestinos pobres, incapazes de decidir, porque eram beneficiários de programas sociais como o Bolsa Família. Esse processo fraudulento foi montado para tirar uma presidenta legitimamente eleita do cargo, algo que só poderia ser feito através das urnas. Mas das urnas eles têm medo, por isso eles têm pressa para que esse processo termine o quanto antes.

É um golpe que despreza a vontade popular que destinou 54 milhões de votos para a Dilma. É um golpe contra os 42 milhões de pessoas que ascenderam de classe social durante o governo petista. Contra a valorização do salário mínimo e programas governamentais como o Enem, o Prouni, o Fies, o Ciência sem Fronteiras e o Mais Médicos.  É um golpe contra o Brasil com “s” e a favor do Brasil com “z”.

Um golpe que está sendo conduzido por partidos que não têm moral alguma para julgar o PT, o Lula ou a Dilma. Todos estão envolvidos com questões de corrupção e de desvios. Mas, se a justiça prevalecer, Dilma voltará. Temos condições de reverter o resultado final e vamos trabalhar muito para isso. Vamos resistir!!