Gleisi Hoffmann: Caos na educação do Paraná

O descaso do governador Beto Richa (PSDB)  com a Educação instalou um cenário caótico no Paraná. A greve dos professores, deflagrada nesta segunda-feira (17), junto ao movimento de ocupação dos estudantes mantêm em torno de 700 escolas públicas fechadas.

A crise da Educação no Estado já vinha penalizando os paranaenses desde o início da gestão de Beto Richa, com denúncias de escolas abandonadas, obras paralisadas, e se agravou no ano passado, com atrasos nos pagamentos de salários e benefícios dos funcionários, além de corte de pessoal. Culminou com a aprovação de uma lei que coloca em risco o futuro dos trabalhadores da Educação e o massacre do dia 29 de abril.  

O estopim da greve iniciada essa semana foi o governo ter voltado atrás no seu compromisso de pagamento da data-base para janeiro de 2017, conforme conquista da última greve da categoria. Segundo a APP Sindicato, o governador também vem descumprindo  com o documento “Compromissos do Paraná com a Educação Pública.”




Não bastasse o desrespeito com os professores,  os estudantes secundaristas acusam o governo do Paraná de negligenciar as escolas públicas, que sofrem com a falta de merenda e infraestrutura. Os estudantes protestam ainda contra a Medida Provisória 746 e a PEC 241, que limitam gastos para a educação e preveem a flexibilização de disciplinas dos currículos escolares. A PEC também é uma ameaça ao Plano Nacional de Educação, criado há dois anos pelo governo Dilma. O plano aumenta os investimentos da União para que estados e municípios possam ampliar suas redes de ensino e, dessa maneira, levar cidadania a 3 milhões de crianças e adolescentes em idade escolar que ainda estão fora da sala de aula.

É lamentável ver a tentativa do governo Temer de acabar com processo de democratização do ensino iniciado pelos governos do PT. A presidenta Dilma, assim como o presidente Lula, sempre priorizaram a educação, pois entendem que somente o ensino de qualidade para todos, em todos os níveis, é capaz de mudar, em definitivo, o patamar econômico, social e tecnológico do Brasil. Mas, as forças retrógradas que perpetraram o golpe parlamentar contra a presidenta Dilma estão se articulando para derrubar todos os avanços sociais conquistados nos últimos 13 anos, inclusive na educação.

Também é lamentável ver como o governo Beto Richa trata  a Educação. Manifestamos todo apoio aos estudantes e aos professores e esperamos que o governador retome urgente o diálogo e a negociação com a categoria.


Leia mais