Francisco Costa: Mais uma ingenuidade da esquerda brasileira

Fico estarrecido ao ver a esquerda brasileira pedindo Diretas Já, estarrecimento que aumenta quando percebo pessoas com o peso de Lula e Jandira pedindo isso.

Eleições pressupõem lisura, imparcialidade dos que as dirigem e orientam, ambiente de normalidade democrática e nenhum desses componentes estão presentes, hoje.

Para piorar, o povo, em sua ampla maioria, não tem informações, acredita que Lula é ladrão, que Dilma foi deposta por roubo, que temos o maior desemprego do mundo, que o país está falido por culpa da esquerda.

Numa eleição agora, que canais teríamos? Parte das redes sociais? Sim, porque a direita domina todo o resto: a outra parte das redes sociais, a mídia, o executivo, o judiciário e o legislativo, com apoio maciço da maçonaria e dos fundamentalistas religiosos, manipulando consciências e com cargos de mando, os mais importantes.

Eleições agora só serviriam para legitimar o golpe, entregando pacífica e legalmente o poder para a direita.

Temos dois anos para trabalhar, a crise mundial não dá mostras de arrefecer com facilidade, trazendo ao Brasil de Temer as mesmas dificuldades que trouxe ao Brasil de Dilma.

Em situações assim, temos duas saídas, a social democrata, de fortalecimento do mercado interno, praticada por Lula, e a neoliberal, opção dos conservadores, praticada por FHC e, agora, pelo que tudo indica, a ser praticada por Temer.

Teremos um repeteco do governo FHC em versão piorada, já que as medidas anunciadas serão mais profundas, com reformas radicais na relação capital x trabalho, aumentando a expropriação sobre a classe trabalhadora, o que levará à insatisfação e o inconformismo, e aí o espaço para a esquerda se soerguer e retomar as rédeas do poder.

Se não somos capazes de impor uma greve geral; se não temos a garantia de fazermos maioria nas eleições municipais; se a mídia, capitaneada pela Globo, continua impondo a pauta política do país; se a classe trabalhadora está dividida em um monte de centrais sindicais; se cada igreja fundamentalista e cada loja maçônica é um comitê eleitoral da direita, que veleidade é essa, a de acreditar que venceríamos uma eleição, hoje?

É preciso continuar com as mangas arregaçadas, trabalhando, mostrando as contradições do regime, apontando a inconsistência do modelo econômico, denunciando a covardia, a manipulação de consciências, na mídia, e das leis, no judiciário.

Eles têm as chaves dos cofres públicos, o controle no uso das leis em causa própria, os votos no parlamento, a mídia, e será que seremos ingênuos o bastante para partirmos para uma guerra de combate único, para o tudo ou nada?

A hora é de guerrilha, com as redes sociais funcionando como trincheiras., com as universidades funcionando como trincheiras, com os partidos progressistas funcionando como trincheiras, com os sindicatos funcionando como trincheiras… E o combate aberto, de escaramuças seguidas de recuo, exatamente como na guerrilha, deve se dar nas ruas, atraindo cada vez mais insatisfeitos (a repressão não se justifica pelo que está sendo feito, mas pelas consequências que poderão advir do que está sendo feito. Agem em legítima defesa, embora de forma covarde).

Para derrubá-los é necessário antes desestabilizá-los.

Diretas Já agora é relaxamento do estuprado diante do estuprador, é a legalização do golpe.

Francisco Costa.
Rio, 12/09/2016


Leia mais