Fotógrafa da Folha é agredida pela PM; instituição subordinada a um governo que o jornal tanto defende

Policiais militares agrediram sem-teto e uma fotógrafa da Folha na região central de São Paulo após um prédio ser ocupado, no início da madrugada desta quarta-feira (2). Três pessoas foram detidas.

O grupo ligado à FLM (Frente de Luta por Moradia) tinha ocupado o prédio por volta das 23h desta terça (1º). Segundo militantes, ao menos 250 pessoas –incluindo crianças e idosos– estavam no interior do edifício.




Após uma hora que o grupo estava no local, policiais militares invadiram o prédio para retirar os sem-teto. Uma das lideranças da FLM disse que policiais à paisana e fardados arrombaram uma porta e começaram a jogar bombas de gás lacrimogêneo.

Líderes da ocupação tentaram negociar com os PMs, mas foram agredidos, de acordo com sem-teto. Assustados, os sem-teto começaram a deixar o prédio por outra porta. Na confusão, algum deles ficaram feridos.

A fotógrafa Marlene Bergamo viu a confusão e foi perguntar o que estava acontecendo. Apesar dela ter levantando as mãos e falado que era da imprensa, um policial deu tiro de bala de borracha na sua barriga. Ela foi levada ao hospital.

Leia mais na Folha de São Paulo.

Foto: Jornalistas Livres


Leia mais