Filhas e netos de vítimas da ditadura vão ao aeroporto do Galeão receber delegações e turistas com cartazes de protesto

Jornalistas Livres – Um grupo de filhas e netos de pessoas atingidas pela ditadura brasileira (1964-1985) recebeu nesta amanhã (02), no aeroporto Galeão, as delegações e turistas que chegam à cidade para as Olimpíadas.

Veja a nota do coletivo:

“Infelizmente, neste país, os crimes de lesa humanidade cometidos durante a ditadura civil-militar não apenas foram perdoados pelo próprio Estado que os cometeu como os executores e mandantes destes crimes gozam de total liberdade ainda hoje.

Esta vergonhosa realidade corrobora e autoriza a perpetuação da prática de tais crimes pelo Estado brasileiro. Sabemos que as pessoas que vivem em áreas de baixa renda sofrem com perseguições, torturas e desaparecimento quando se posicionam contra as injustiças sociais das quais são reféns.
Com o objetivo de denunciar um Estado que violou direitos humanos no passado e continua a violá-los no presente, munidos de faixas e cartazes o grupo Filhos e Netos por Memória, Verdade e Justiça, estará recepcionando os visitantes para mostrar aquilo que os Jogos Olímpicos pretendem ocultar. O terrorismo no Brasil sempre existiu e continua existindo, praticado pelo próprio Estado.

Estado Brasileiro: Recorde Mundial em assassinatos por dia.
Cuidado: no Brasil, torturadores andam livres
No Brasil, a tortura praticada pelo estado é perdoada e não é punida.

Quem são Filhos e Netos por Memória Verdade e Justiça?

Entendemos e assumimos a história da ditadura militar como herança do povo, constituída na memória coletiva da sociedade e não apenas uma herança familiar isolada.

Isto se reflete na imagem e na voz de todos os filhos da história que se assumem no exercício de sua militância política e reconhecem, nos dias de hoje, os efeitos da ditadura em diferentes níveis.

Nós, herdeiros da resistência, desejamos construir um movimento social comprometido com a transformação social. Nossa herança se materializa através de um presente de luta coletiva, orientada por uma perspectiva afetiva, tendo como princípios norteadores a Memória, a Verdade e a Justiça.”


Leia mais