Equador, Bolívia e Venezuela convocam embaixadores após o golpe no Brasil

Venezuela, Bolívia e Equador anunciaram que irão convocar seus embaixadores no Brasil após o impeachment de Dilma Rousseff. O governo venezuelano também diz em nota que irá congelar suas relações políticas e diplomáticas com o país.

Um comunicado divulgado no site da presidência diz: “o governo da República Bolivariana da Venezuela, em resguardo da legalidade internacional e solidária com o povo do Brasil, decidiu retirar definitivamente seu embaixador da República Federativa do Brasil e congelar as relações políticas e diplomáticas com o governo surgido a partir deste golpe parlamentar”.




Já o presidente do Equador, Rafael Correa, anunciou a decisão em seu perfil no Twitter, onde escreveu: “Destituíram Dilma. Uma apologia ao abuso e à traição. Retiraremos nosso representante da embaixada. Jamais reconheceremos estes…”.

Evo Morales, presidente da Bolívia, havia anunciado pela manhã que recorreria à medida caso o impeachment fosse aprovado pelo Senado brasileiro. Após a confirmação, ele escreveu em seu perfil: “estamos convocando nosso embaixador no Brasil para assumir as medidas aconselháveis para este momento”.

O governo de Cuba não convocou seu embaixador, mas divulgou um comunicado criticando o impeachment. “O Governo Revolucionário da República de Cuba rejeita energicamente o golpe de estado parlamentar-judicial que se consumou contra a presidenta Dilma Rousseff”, diz a abertura do texto.

(G1)