Enquanto você perde direitos, Temer aumenta gastos do governo com produtos Microsoft

O Governo Federal deverá trocar os programas de código aberto que o Poder Executivo utiliza hoje por uma série de software da gigante da tecnologia Microsoft. De acordo com o site Convergência Digital, todos os órgãos do Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação (SISP) terão que manifestar seu interesse em adquirir os programas da empresa.

Ainda segundo o site, já estão confirmadas as compras conjuntas dos programas Office, Windows Professional, Windows Server e Client Access Licence. Eles deverão ser adquiridos através de licenças perpétuas ou de assinaturas.




Essa é a primeira vez, desde que o Partido dos Trabalhadores (PT) havia entrado no governo em 2003, que o Governo Federal vai comprar sistema proprietários da Microsoft de maneira tão ampla. A estratégia deles era valorizar o software livre, com o argumento de “reduzir custos, ampliar a concorrência, gerar empregos e desenvolver o conhecimento e a inteligência do país na área”.

Até 2008, a estimativa é que R$ 150 milhões tenham sido economizados através do uso de programas de código aberto. Essa é a última informação divulgada oficialmente pelo governo. Em 2010, o assessor da diretoria do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) da Casa Civil da Presidência da república disse que o valor atingiria R$ 500 milhões até o fim daquele ano.

Mas a política nem sempre foi unanimidade, e não foi adotada por órgãos com enorme poder político, como a Receita Federal e o Banco Central, além dos bancos oficiais. A decisão ocorre uma semana depois da Microsoft realizar um evento de portas fechadas junto de integrantes do governo brasileiro.

Leia mais no Adrenaline.


Leia mais