Efeito Doria: Aumentos nas velocidades das marginais de SP fazem a primeira vítima fatal

A marginal Tietê teve na noite desta sexta-feira (10) a primeira morte em acidente de trânsito depois da adoção dos novos limites de velocidade pela gestão João Doria (PSDB), em 25 de janeiro.

Um motociclista foi atingido por um caminhão baú na altura do Sambódromo do Anhembi, no sentido da rodovia Ayrton Senna, e morreu no local. O motorista fugiu sem prestar socorro, de acordo com a Polícia Militar. A última morte na marginal Tietê tinha sido em novembro passado. De janeiro a outubro de 2016, foram 13.



Após a elevação dos limites de velocidade nas duas marginais, já havia sido registrada uma morte, mas na Pinheiros, no último dia 14. O episódio também envolveu um motociclista –que se chocou com um carro quebrado na pista expressa da via

O acidente desta sexta-feira ocorreu por volta das 21h40 na pista local da marginal Tietê, onde a velocidade máxima permitida aumentou de 50 km/h para 60 km/h, com exceção da faixa da direita.

O aumento dos limites nas marginais foi uma promessa de campanha de Doria bastante questionada por especialistas, que temem a elevação de mortes e acidentes. Em fevereiro, pesquisa Datafolha apontou que a medida era defendida por 57% dos paulistanos e reprovada por 37%.

A redução das velocidades máximas havia sido implantada pela gestão Fernando Haddad (PT) em julho de 2015.

Leia mais na Folha de São Paulo.