Decisões do STF indicam que Aécio Neves será submetido a prisão domiciliar

A Primeira Turma do STF decidiu libertar Mendherson Souza Lima, que é apontado como uma das pessoas que transportou os R$ 2 milhões que Aécio Neves pediu a Joesley Batista, por 3 votos a 2. Em contra partida, o ex-assessor do senador Zezé Perrella (PMDB-MG) ficará em prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica.




Após a decisão, o relator, ministro Marco Aurélio Mello, sugeriu estender a medida aos outros envolvidos no processo gerado pela delação de Joesley Batista, sendo eles: Andrea Neves (irmã) e Frederico Pacheco, irmã e primo de Aécio Neves (PSDB-MG), respectivamente. Os outros ministros acataram a definiram as novas sanções.

O senador mineiro, principal beneficiário do suposto crime, deve também ter a prisão domiciliar decretada em nova reunião da Primeira Turma se os argumentos dos ministros forem mantidos e se o relator não acatar o pedido da defesa para que o pedido de prisão de Aécio seja julgado pelo pleno do STF.

Marco Aurélio Mello não estipulou uma data para a retomada do julgamento.