Conclui-se o Golpe de 2016 e se incia a anistia a políticos envolvidos na Lava Jato

A reta final do impeachment de Dilma Rousseff coincide com o avanço, nos bastidores do Congresso, da ideia de anistia para políticos envolvidos na Lava-Jato. O plano transita na cúpula do Legislativo e do Executivo. Já estava em pauta com a perspectiva de uma delação premiada do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ganhou força com o acordo da Odebrecht com o Ministério Público, em fase final de negociação.

Um grupo de advogados com clientes na Lava-Jato discute a minuta de uma proposta que pode entrar na negociação das dez medidas anticorrupção, que tramitam no Congresso, ou de uma reforma política após as eleições de novembro.

O centro da proposta é a distinção entre caixa dois e propina. A legislação já os distingue, mas com uma fronteira cinzenta que não impediu a Lava-Jato de juntar os dois crimes no mesmo balaio. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), nega que a proposta já esteja formatada, mas admite discussões no sentido de explicitar a diferença entre os dois crimes.

(Valor Econômico)


Leia mais