Com Temer e PSDB, número de matriculados em faculdades particulares caí pela primeira vez em 25 anos

Pela primeira vez em 25 anos, o número de alunos na rede particular de ensino superior caiu no Brasil. Em 2016, as instituições privadas – que respondem por 75,3% das matrículas nessa etapa de ensino – tinham 6,05 milhões de matriculados, ou 16,5 mil estudantes a menos do que no ano anterior. A queda resultou em uma estagnação no volume de estudantes em faculdades e universidades do País.




Também caiu, pelo segundo ano consecutivo, o total de novos alunos em cursos presenciais. Em 2016, ingressaram 2,14 milhões de alunos, 4% a menos do que no ano anterior – acumulando, desde 2014, uma perda de 10,1% de novos estudantes. Especialistas atribuem a queda à redução dos contratos do Financiamento Estudantil (Fies) e à crise, e o ministro da Educação, Mendonça Filho, apenas à retração econômica.

 Os dados constam em relatório do Censo da Educação Superior 2016, divulgado nesta quinta-feira pelo MEC. No ano passado, o País tinha 8,05 milhões de alunos em cursos superiores (presencial e a distância; ensino público e privado), 0,2% a mais que em 2015, quando eram 8,03 milhões de matriculados. Em relação às novas matrículas, a estagnação registrada em 2016 indica o pior cenário desde 1992, quando havia 1,53 milhão de alunos no ensino superior. De 1992 a 2015, a média de crescimento foi de 7,5% ao ano.

Leia mais no Estado de São Paulo.