Colunista idiota da Veja faz fofoca contra Dilma Rouseff e consegue repercussão

Via PT na Câmara:


augusto nunes boato




O colunista Augusto Nunes, da Veja, que também é apresentador do programa Roda Viva, da TV Cultura, criou um boato contra a presidenta Dilma Rousseff nesta sexta-feira (14).

Em seu blog no portal da revista, Nunes mentiu ao publicar que Dilma disse à Rádio Guaíba que “a prisão do ex-presidente Lula pode resultar na invasão do Brasil pelos exércitos da poderosa Tríplice Aliança formada por Venezuela, Bolívia e Equador”.

A entrevista da presidenta foi concedida na quinta-feira (13) e o áudio completo está disponível no site da emissora de Porto Alegre. Dilma não fez qualquer menção a invasão ou a exército de qualquer país, muito menos de Tríplice Aliança, termo usado jocosamente pelo colunista para se referir aos três países sul-americanos cujos governantes são progressistas e criticaram o golpe contra a democracia brasileira.

Pouco depois, Gaudêncio Torquato, um dos principais consultores de marketing da direita brasileira, repercutiu a nota em sua conta no Twitter: “Dilma teria dito Rádio Gaucha q se Lula for preso, Brasil será invadido p/exércitos da Tríplice Aliança(Venezuela, Bol e Equador)”, escreveu Torquato, num Tweet que foi replicado por mais de cem contas.

Logo em seguida, o consultor, que é conselheiro político do golpista Michel Temer, revelou que tomou conhecimento da “ideia maluca” no blog de Augusto Nunes, acrescentando ainda que não acreditava que Dilma tivesse dito aquilo. Esse segundo tweet, porém, foi replicado apenas sete vezes até o momento em que fechamos essa matéria. Obviamente, o boato prevaleceu amplamente sobre a crítica.

gaudencio boato

Esse é um dos métodos dos assassinos de reputação da Veja – e dos demais próceres midiáticos da direita golpista – para criar boatos e disseminar ódio contra o PT, Lula, Dilma e qualquer ator político de esquerda no Brasil.

No vídeo abaixo é possível escutar o trecho da entrevista em que Dilma fala sobre a perseguição judicial ao ex-presidente Lula. “Eu acredito que tem um quadro de golpe continuado. Este quadro tem como objetivo principal impedir que na eleição de 2018, o Lula participe da eleição como candidato. Acho que há um objetivo claro de condená-lo na segunda instância para inviabilizá-lo como candidato. Se ele vai ou não ser atingido é uma questão que a gente não tem como chegar a uma conclusão objetiva hoje. Se prenderem, eu acho que criam uma situação muito difícil para o País. Acho que a prisão do Lula será vista como um ‘corolário do golpe’ que resultou no meu impeachment”, foi tudo que Dilma falou do assunto.

Confira a íntegra da entrevista aqui.


Leia mais