Atriz Débora Bloch lamentou a cassação de seu voto e pediu Diretas Já em programa da GloboNews

Débora Bloch esteve no programa Estúdio I da GloboNews para comentar sobre sua participação na série “Justiça”. A injustiça foi o ponto central da discussão.

Uma das falas da atriz coincidiu com o momento da despedida da presidenta eleita Dilma Rousseff do Palácio do Planalto. O tema da discussão motivou Débora Bloch a fazer um paralelo entre as diversas formas de injustiças e o Golpe de 2016.

“Estou um pouco chocada do nosso voto não valer, sabe? Não sei, eu acho que a gente deveria ter Diretas Já”, lamentou.




Ela ainda lembrou que a geração que viveu a ditadura militar lutou muito para conseguir o direito ao voto.

“Lutamos tanto para conquistar isso [o voto]. Teve o impeachment, então agora vamos votar em quem a gente quer para presidente”, disse.

A apresentadora do programa, Maria Beltrão, que parece desconhecer a real finalidade de um vice-presidente, disse que é bom lembrar que a chapa eleita, em 2014, foi Dilma Rousseff e Michel Temer, e que o usurpador é legítimo. Todavia faltou dizer que o usurpador foi eleito com o programa de governo da presidenta e que ele conspirou para aplicar uma agenda que não foi aprovada no pleito de 2014.

Indubitavelmente, Temer é ilegítimo, sim.

O que esperar de uma funcionária do alto escalão da central Globo de jornalismo? Completa adesão ao golpe, é claro.


Leia mais