Atraso no repasse de 5 bi do governo Temer ao Fies já atinge 1,8 milhões de alunos em todo o país

Há três meses, instituições de ensino superior não recebem pagamentos do Fies que deveriam ser repassados pelo Governo federal. O dinheiro está bloqueado por uma dívida da União com taxas bancárias, o que impossibilita a renovação de contratos no segundo semestre.

O Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior calcula que as verbas atrasadas estejam em R$ 5 bilhões, referentes a 1,8 milhão de alunos de 1,3 mil instituições.




A PUC de São Paulo é uma das universidades preocupadas com a situação.

Nesta semana, a universidade encabeçou um encontro para discutir o assunto e uma moção foi assinada pela PUC e outras entidades, como o Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior e a Associação Nacional das Universidades Particulares pede celeridade dos parlamentares em votarem o projeto de lei 08/2016, que abre crédito de R$ 1,1 bilhão ao Ministério da Educação.

No entanto, há a preocupação que o projeto não seja votado, por ser a primeira terça-feira pós-eleições e há o risco de não haver quórum.

Somente na PUC, 1028 alunos dependem do Financiamento Estudantil, caso de Henrique Antonucci, aluno do curso de Direito: “a gente fica na angústia de não saber se vai estudar no ano que vem. No dia 04 está remarcada a votação e a gente espera que eles votem e compareçam para exercer a função deles como deputados. Sem Fies, sem condição”.

A moção deixa claro que a falta desses repasses traz consequências danosas para os alunos e demais setores do ensino superior do País.

Leia mais no UOL.