Apoiador do Golpe de 2016, presidente da Riachuelo vê sua empresa ter queda de 44% no lucro no terceiro trimestre

A Guararapes, companhia da varejista de moda Riachuelo, reportou uma queda de 44,4% no lucro líquido no terceiro trimestre deste ano, em comparação ao mesmo trimestre do ano passado. Ao todo, a rede acumulou R$ 17,8 milhões de lucro, ante os R$ 32 milhões do trimestre de 2015.

Apesar da queda, a varejista conseguiu vender mais: a receita líquida ficou 5,5% maior, totalizando R$ 1,39 bilhão. As novas lojas ajudaram a aumentar o resultado da empresa, uma vez que as vendas das mesmas lojas – aquelas abertas há mais de um ano – caíram 2,2%.

A empresa encerrou o trimestre com mais lojas: 289 ante as 274 operações do mesmo trimestre do ano passado. “O processo de expansão reflete o objetivo da Riachuelo de conquistar novos mercados e consolidar suas posições regionais por meio da inauguração e remodelação de unidades. Vale lembrar que o período de maturação de uma nova loja é de aproximadamente cinco anos, o que torna tais áreas um elemento relevante na definição do ritmo de crescimento das vendas da Companhia”, destacou a empresa em relatório.




Ao final do terceiro trimestre de 2016, a Riachuelo contava com 49% de sua área de vendas com idade entre um e cinco anos.

Os produtos feitos pela própria empresa, via indústria Guararapes, representaram 31,8% da venda total da Riachuelo neste terceiro trimestre. A estratégia, segundo a empresa, é focar a produção da própria indústria em itens de maior valor agregado.

Ao todo, a Guararapes produziu 10,8 milhões de peças ante 9,7 milhões de itens registrados no mesmo trimestre de 2015. No período, a Guararapes faturou R$ 978,4 milhões para a Riachuelo no período acumulado de janeiro a setembro de 2016, 1,4% a mais que o apurado no mesmo período do ano anterior.

Já a receita da operação financeira da marca totalizou R$ 434 milhões, 10,8% maior que o registrado no mesmo período do ano anterior.

Em relação aos investimentos da companhia, eles somaram R$ 140,9 milhões entre janeiro e setembro – o valor é menos que a metade dos E# 381,6 milhões investidos no mesmo período do ano passado. Do montante investido neste período, 87% foram destinados à Riachuelo para abertura de novas lojas e centros de distribuição.

Via Novarejo