Antropólogo italiano não aceita o Golpe de 2016 e devolve condecoração concedida pelo Brasil em 1994

O antropólogo italiano Massimo Canevacci, professor aposentado da Universidade de Roma La Sapienza, devolveu ao governo brasileiro a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, com a qual foi condecorado em 1994. Em carta ao presidente Michel Temer, ele afirma que, depois do impeachment, sente “a impossibilidade de manter este título”.

A Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul é a mais alta condecoração brasileira atribuída a estrangeiros.



Na carta a Temer, Canevacci diz ainda que sente “grande tristeza”, mas prefere “não manter este tipo de vínculo com um Estado e com um Parlamento que, após o golpe militar de 1964, continua produzindo valores contrários aos meus princípios republicanos”.

(Mônica Bergamo – Folha)


Leia mais