Além da PEC 241, governo Temer-PSDB degrada o país com quedas na arrecadação

Dados do Sistema Integrado de Administração Financeira, do governo federal, apontam que a arrecadação da união cai a cada mês. Foram registradas quedas de 9% em agosto e 7,3% em setembro com relação aos mesmos períodos no ano de 2015. Os resultados só reforçam que o maior problema do país, com relação à economia, é a sonegação de impostos. Crime visto como “legítima defesa” pela massa “bem cheirosa” da população brasileira.




O governo Temer-PSDB insiste em não aumentar impostos, repele a CPMF, fazendo um populismo que degradará ainda mais a economia brasileira. Para o governo, é impossível tomar medidas contra a sonegação no Brasil. Sendo assim, não há outro caminho. A recuperação fiscal do Brasil passa, obrigatoriamente, por aumentos de impostos. Em especial, pela recriação da CPMF, pois é um tributo impossível de sonegar – em princípio.

A redução do gasto corrente – como propõe a PEC 241 – não suprirá a queda de arrecadação, além prenunciar uma tragédia para a população mais carente.

O Brasil já experimentou uma redução do papel do Estado – e não faz muito tempo -, e os resultados foram “catastróficos.

Vale lembrar que o ex-presidente Lula, em conjunto com a sua equipe econômica, recuperou um país quebrado, degradado, com desemprego em nível assustador e com níveis altíssimos de pobreza e miséria, fazendo um ajuste fiscal rigoroso, com aumentos e criação de novos impostos, e o pais voltou a crescer e teve sua economia restabelecida em muito pouco tempo.

As experiências que o Brasil já teve mostram o que deve e o que não deve ser feito.

Lucas Ponez, idealizador do Debate Progressista.