Início Destaques A nova de Jucá: “Recurso da termoelétrica vai pro teu bolso”

A nova de Jucá: “Recurso da termoelétrica vai pro teu bolso”

Durante a votação no Senado que aprovou a intervenção federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro, na noite dessa terça-feira (20/2), o senador Romero Jucá (MDB-RR) foi flagrado pelo Metrópoles em conversa sugestiva no WhatsApp.



Na tela do celular do parlamentar, é possível ler a mensagem enviada a ele: “Reunião acontecendo agora com Paulo Linhares. Ele tá dizendo que o recurso da termoelétrica vai pro teu bolso…”. O contato do remetente é Marcelo Guimarães. Em outro trecho da conversa, também é citado um Rodrigo.

Não é possível identificar com certeza quem é Marcelo Guimarães. Mas a conversa dá algumas pistas. Há ao menos três personagens do mundo político com esse nome. O mais provável é o marido da prefeita de Boa Vista, capital de Roraima, Teresa Surita. Ela é integrante do MDB, mesmo partido de Jucá.

Depois de uma série de viagens e alto faturamento com diárias, a Justiça em Roraima mandou a prefeita demitir o esposo, em 2015, do cargo que ele exercia na Prefeitura de Boa Vista, acatando ação civil movida pelo Ministério Público. Segundo promotores do estado, Marcelo Guimarães usava a função como subterfúgio para acompanhar a mulher em viagens. Em caso de descumprimento, Teresa estaria sujeita à multa diária de R$ 2 mil.




No entanto, dois políticos da Bahia têm o mesmo nome. Ambos são cartolas do Esporte Clube Bahia. Marcelo Guimarães foi deputado estadual pela Bahia, de 1991 a 2007. Ele integra o PL-BA. O filho, vereador pelo município de Salvador em 2000, elegeu-se deputado federal em 2002. A carreira no Legislativo não foi tão longa quanto a do pai, e Marcelo Guimarães Filho não foi reeleito. Em tempo: o mais novo dos Guimarães é filiado ao MDB, partido de Romero Jucá.

Ex-secretário de Saúde
Outro mencionado no bate-papo entre Jucá e Marcelo Guimarães é Paulo Linhares, ex-secretário estadual de Saúde de Roraima. Cirurgião dentista, ele se desligou do cargo em 18 de janeiro, após a governadora do estado e desafeto do senador emedebista, Suely Campos, determinar que candidatos nas eleições 2018 não poderiam participar da administração pública.

Segundo a assessoria de imprensa de Romero Jucá, a mensagem foi enviada ao senador para alertá-lo de que “Paulo Linhares o está caluniando em uma reunião realizada em Boa Vista”. O emedebista, inclusive, teria solicitado os áudios da gravação do encontro “para posteriores medidas judiciais contra o (ex) secretário”, ao qual, ainda segundo sua assessoria, “o senador Romero Jucá faz ferrenha oposição”.

Também ex-vereador, Linhares é pré-candidato a uma vaga na Câmara dos Deputados. Em janeiro, cerca de uma semana antes de deixar o comando da Saúde no estado, ele trocou o Progressistas (PP), sigla à qual esteve filiado por 20 anos, pelo Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB). A justificativa para a mudança partidária foi de que o atual presidente regional do PP, deputado Hiran Gonçalves, não garantiu abrir mão de uma tentativa de reeleição em favor da candidatura de Linhares a deputado federal.

“Eu sou aliado politicamente da governadora Suely, que tem meu apoio para as próximas eleições, mas não sou aliado do presidente do PP [Hiran Gonçalves] e não tenho segurança que o presidente vá me dar a vaga para disputar”, frisou Paulo Linhares, de acordo com a mídia local, ao assinar sua filiação ao PRTB.

Metropoles


Leia também

Sobre facas e facadas

A agressão sofrida pelo candidato Jair Bolsonaro é inadmissível. Parece ter sido cometida …