Início Notícias 20ª Vara Criminal de SP rejeita processo de Bolsonaro contra Ciro por ausença de crime

20ª Vara Criminal de SP rejeita processo de Bolsonaro contra Ciro por ausença de crime

O deputado federal e presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) entrou com uma queixa-crime contra o também pré-candidato à Presidência da República Ciro Gomes (PDT-CE) por calúnia e injúria no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). Bolsonaro processou Ciro por um comentário do pedetista durante uma entrevista à rádio “Jovem Pan” em agosto de 2017.




Na entrevista, Ciro comenta uma doação de R$ 200 mil feita pela JBS ao Partido Progressista (PP), então legenda de Bolsonaro:

“A JBS depositou R$ 200 mil na conta dele, Jair Messias Bolsonaro, deputado federal! E mais outro tanto na bolsa, na do filho dele. Ele, quando viu, resolveu estornar o dinheiro, não pra JBS. Eu, se tô indignado, o cara depositou na minha conta sem a minha autorização, eu devolvo pra ele, e mando ele pastar, pra não dizer aquela outra frase que termina no monossílabo tônico. Não, o que ele faz, ele devolve para o partido, que na mesma data entrega R$ 200 mil pra ele. O nome disso é lavagem de dinheiro. Simples assim”.

Segundo a defesa do deputado, Ciro teria cometido o crime de calúnia ao imputar o crime de lavagem de dinheiro a Bolsonaro e injúria ao insinuar que ele é um “moralista de goela”.

“Isso é uma grande baboseira porque na data que ele pegou era legal. Na data que ele pegou era legal. Esse é o problema do moralista de goela”, diz Ciro em um dos trechos da entrevista.

O juiz Richard Francisco Chequini, da 20ª Vara Criminal de São Paulo, declinou a competência do processo por entender que não houve crime de calúnia e imputação de crime de lavagem de dinheiro.

Leia mais no O Globo.


Leia também

MP-SP abre inquérito contra Alckmin por improbidade administrativa

Ministério Público de São Paulo abriu nesta sexta-feira (20) um inquérito civil para inves…